Centro Latino-Americano de Pesquisa Stanislavski - Tatiana Motta Lima

Tatiana Motta Lima

TATIANA MOTTA LIMA
Tatiana Motta Lima é professora associada da UNIRIO, atuando no Departamento de Interpretação e no Programa de Pós Graduação em Artes dessa Universidade. Estuda, há mais de 20 anos, a obra e a trajetória de Grotowski, tendo escrito inúmeros artigos sobre o tema (Estudos da Presença, Revista do Lume, Sala Preta, etc) e o livro Palavras Praticadas: a trajetória artística de Jerzy Grotowski, pela Perspectiva, em 2102. Nesses anos, ela participou de alguns estágios ministrados por colaboradores de Grotowski de diferentes fases (Kahn, Robart, Molik, Slowiak, Biagini, Richards, entre outros). Ela mantém com o Workcenter of Jerzy Grotowski and Thomas Richards, desde 1999, uma relação profissional frequente, fazendo e acompanhado workshops, realizando palestras, participando de publicações. Tatiana também organizou seminários sobre a obra de Grotowski, notadamente, em 2009, o Seminário Grotowski, uma Vida Maior do que o mito que trouxe ao Brasil, pela primeira vez, Ludwik Flaszen. Em 2016 e 2018, organizou o Seminário Stanislavski I e II (junto com Michele Zaltron). Como pedagoga, Tatiana tem se dedicado a refletir sobre o processo criativo do ator/atriz, ministrando estágios práticos e teóricos para atores e bailarinos, escrevendo sobre o tema (Sala Preta, Illinx, Revista Pós, etc) e participando da “Rede Internacional de Estudos da Presença”, coordenada por Gilberto Icle. Tatiana é atriz (bissexta) e diretora. Dirige o grupo Hanimais Hestranhos, com o qual desenvolveu, entre 2016 e 2017, uma pesquisa prática sobre atuação e subjetividade – quem é, ou pode ser, este ‘eu’ que atua? - tendo como referência literária as obras “O inominável” de Samuel Beckett e “Livro do Desassossego” de Fernando Pessoa. Atualmente, faz a supervisão de dois espetáculos: A Mulher que Virou Planta, com a atriz Bruna Trindade e direção de Vitor Medeiros (em construção) e Divinas e Humanas, concebido e realizado pela atriz Rosana Reátegui. Tatiana participa de dois Grupos de Pesquisa do CNPq: CRIA: Artes e Transversalidade e Artes do Movimento. Ela é também membro do conselho artístico do CLAPS, primeiro Centro da América Latina voltado para pesquisa do legado de Stanislávski.